É impressionante o aumento do número de pessoas que passaram a fazer atividade física com regularidade nos últimos anos. Aos domingos, as ciclo faixas e os parques estão sempre lotados, todos os dias cruzamos pessoas praticando caminhadas ou corridas de rua, as academias proliferaram, programas de rádio e televisão exibem comentaristas de esportes e preparadores físicos em horários nobres com grande receptividade e audiência.

A boa intenção é tamanha que algumas vezes, a onda alcança dimensões que interferem negativamente na saúde das pessoas.  Vejo pacientes que trabalham o dia todo, têm filhos pequenos ou ainda estudam. Dormem muito pouco, vivem cansados, comem correndo e muito mal e fazem ginástica na hora do almoço ou tarde da noite. Uma luta insana com o objetivo de perder peso ou o que é pior, para aumentar a possibilidade de comerem e beberem  mais sem engordar.

Infelizmente parece haver um grande equívoco na crença de que a atividade física pode suplantar ou prescindir da dieta na perda de peso. O que ocorre é que o nosso gasto calórico é, em sua maior parte, cerca de 70 a 75%, originado do nosso chamado metabolismo basal. Isso mesmo, cerca de 75% da nossa queima de calorias não depende de nenhum tipo de atividade física. Queimamos todo esse percentual mesmo se ficamos deitados o dia todo. O que aumentamos quando nos exercitamos são os 25% restantes apenas. Não que isso não seja relevante, mas não garante a perda de peso independente da nossa alimentação.

Na primeira quinzena de março de 2018 o Centro Nacional de Estatística de Saúde dos Estados Unidos publicou o mais recente relatório federal referente à relação obesidade e atividade física. Os dados revelam que os americanos estão praticando mais exercícios físicos, mas estão cada vez mais obesos. Em 2017, 53,8% dos americanos praticavam atividade física regular, ao passo que apenas 41% deles se exercitavam em 2015. Apesar disso, 31,4% dos americanos com mais de 20 anos estavam obesos em 2017 em comparação aos 19,4% em 1997.

Praticar exercícios regulares têm uma vantagem inquestionável para a saúde em geral, mas a sua contribuição para a perda de peso parece ocorrer principalmente pelo estímulo à aderência das pessoas às suas dietas. Isso sim pode ser um ponto muito positivo em fazer da ginástica um aliado na perda de peso.  Parece que se exercitar com regularidade nos torna mais disciplinados, mais organizados em nossa rotina e com maior possibilidade de conseguirmos levar adiante um plano alimentar que nos ajude a perder peso.

Logo, se queremos perder peso, devemos investir em nossa alimentação e comer menos. Se queremos ter saúde, devemos ingerir alimentos saudáveis e praticar atividade física regularmente. Simples assim.

 

 

 

CITEN

Leia mais